Tradutor

quinta-feira, março 10, 2011

Gestão de Riscos de Crédito distingue os melhores bancos

A actual crise financeira vai agravar os níveis de crédito mal parado nos bancos, e por à prova a sua capacidade de recuperação e de gestão de  pré-contencioso bem como a eficácia de contencioso em tribunal a promover a renovação do tecido económico, de uma forma construtiva, justa, mas sobretudo célere.

A função de contencioso é bastante diferente das restantes actividades bancárias, e de algumas actividades não-bancárias que até deveriam ser proibidas nos bancos como a venda de relógios, etc.   Não existem regras rígidas e cada caso mal parado exige um tratamento individualizado.  É importante conseguir criar, estruturar e convencer as partes a colaborar em soluções inovadoras, imaginativas e construtivas.

O credor precisa de demonstrar tanto compreensão como firmeza, com os gestores e accionistas de empresas em grave situação financeira.  Se a carteira de crédito sujeito a imparidades (impaired) for grande, pode ser útil criar um "bad bank" gerido por especialistas de recuperação de crédito, como foi o caso da Finangeste nos anos 1990's.

Ver artigo de Mariana Abrantes de Sousa, A gestão de risco de crédito com principal factor de sucesso bancário, Revista da Banca, Setembro 1992

Ver também http://koha.lis.ulusiada.pt/cgi-bin/koha/opac-detail.pl?biblionumber=146726