Tradutor

domingo, março 19, 2017

Bens Transacionáveis e Desenvolvimento Sustentável

Eis um artigo preciso e conciso de Daniel Bessa sobre Investimento e crescimento em Portugal:  

"Portugal precisa de crescer, para isso precisa investir.  O crescimento é uma condição necessária, mas infelizmente (investir) não é suficiente para (crescer)".

... O Estado tem de investir em infraestruturas reprodutivas, serviços públicos de interesse económico geral, que gerem crescimento, isto é que respondam à procura ... As empresas têm de investir em ... bens e serviços ... transaccionáveis, que se consigam vender nos mercados globais...

ver mais em http://expresso.sapo.pt/opiniao/opiniao_daniel_bessa/2017-03-18-Investimento-em-Portugal

sábado, março 18, 2017

European Development Days 7-8 JUNE 2017

Bruxelas, 7-8 JUNE 2017

European Development Days 

European Development Days 7-8 JUNE 2017

Bruxelas, 7-8 JUNE 2017

European Development Days 

Monitoring São Tomé e Principe

Deadline:
Mar 27, 2017
Location:
Sao Tome and Principe
Languages:
Portuguese
Opportunity type:
Contract - Less than 4 months
Minimum work experience:
From 6 years
Sectors:
Monitoring & Evaluation
Expected starting date:
Apr 1, 2017
CCM Consulting Group Worldwide

ATTACHMENTS

No files attached

D


Qualification et Compétences
  • Une formation de niveau supérieur (BAC+4) en économie, droit, administration publique ou domaine équivalent
  • Portugais: Excellent en lecture et oral
  • Maîtrise des outils informatiques
  • Connaissance souhaitable des méthodologies « qualité » (ISO, TQM, …)
Expérience Professionnelle Générale
  • Une expérience d’au moins 6 ans dans le domaine du développement des capacités des autorités nationales relatives à la mise en oeuvre des projets de coopération
Expérience Professionnelle Spécifique
  • Une expérience d’au moins 6 ans (dont 2 ans en Afrique Subsaharienne) dans l’identification et la formulation des projets de développement des capacités (Cellules d’Appui à l’Ordonnateur National, Facilité de Coopération Technique …) dans les pays en développement
  • Une expérience dans une évaluation d’un projet de caractéristiques similaires au cours des deux dernières années sera considérée comme un atout
  • Une expérience dans l’évaluation des thèmes transversaux promus par l’UE sera considérée comme un atout
  • Une bonne maitrise des procédures du FED
In your application please specify that you found out about this opportunity on DevelopmentAid.org.
Veuillez indiquer dans votre candidature que vous avez consulté cette offre sur le site web DevelopmentAid.org.

UK, Brexit and the Current Account Deficit

The "gaping current account deficit" is part of the explanation of Brexit, hidden in plain sight, or is it site.

United Kingdom Current Account to GDP

domingo, março 05, 2017

Game over: The Inside Story of the Greek Crisis



George Papaconstantinou, former Finance Minister of Greece (2009-2011), presents and speaks about the topic of his new book Game Over - The inside story of the Greek crisis. The presentation explores the Greek Crisis and the broader lessons for Europe and the Eurozone
The event, organised by the Hellenic Observatory at LSE, took place on Wednesday, 22 February 2017 at the LSE’s Old Theatre. Hellenic Observatory www.lse.ac.uk

Six years since the Greek crisis erupted, Europe has been fundamentally transformed, while Greece is in its third bailout, still in severe social and economic decline. The book of former Greek Finance Minister George Papaconstantinou tells the breath-taking story of this unprecedented period, and prompts a broad discussion on the decisions taken during the crisis and on the direction of Europe  and the Eurozone today.
Why were the causes overlooked for so long by European authorities and the financial markets, and why  the consequences so severe?
Were other solutions available?
Would Greece and Europe have been better off if the country had left the Euro?
Why were the experiences of other Eurozone (Cohesion)  countries like Portugal, Ireland and Spain so different from those of Greece?
Did European, Eurozone  and global institutions, and the creditors and debtors respond appropriately?
Have the Eurozone institutions been  since reformed adequately and are there now in place safeguards to ensure an external debt crisis  cannot happen in the Eurozone  again?
These questions and the themes discussed in the book are extremely relevant today as Europe grapples with its continuing economic problems and the rise of populism.

domingo, janeiro 15, 2017

PPA Água em Cabo Verde, 14-Fev, Salvaterra de Magos

O Seminário Público “Cabo Verde e o Sector da Água”, insere-se no âmbito da terceira missão inversa do projeto P3LP, que acolherá vários gestores e técnicos de Cabo Verde e que será repartida entre Lisboa e o Ribatejo de 13 a 17 de Fevereiro.
logo-p3lp_final
A PPA tem particular gosto em receber técnicos e responsáveis de Cabo Verde para com eles partilhar experiências nos planos técnico e institucional.
Em concreto, realizar-se-á uma sessão de apresentação desta delegação no dia 14 de Fevereiro, 3.ªfeira, no Centro de Interpretação e Educação Ambiental do Cais da Vala, em Salvaterra de Magos, aberto a todos os interessados.
Pode consultar o programa aqui.
Uma vez mais, a participação nesta sessão será livre de encargos mas sujeita a inscrição e confirmação prévias via e-mail: geral@ppa.pt

ODS Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Conheça os resultados dos Objetivos do Milénio ODM 2000-2015 e os novos desafios dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável  ODS 2015-2030.    
Trabalhando juntos vamos fazer grandes porgressos nos países da Lusofonia! 

Fonte:  
http://www.guiasdeportugal.org/index.php/12-projetos/267-objetivos-de-desenvolvimento-sustentavel

segunda-feira, dezembro 05, 2016

Impact Investment Africa

Investimento orientado para o impacto consiste de investmentos com bons retornos financeiros E bons retornos ESAG -  económicos, sociais, ambientais e de governação 

http://www.cnbcafrica.com/video/?bctid=5235985873001 

domingo, novembro 20, 2016

Sleeping with an elephant 2.0

"Living next to you is in some ways like sleeping with an elephant. No matter how friendly and even-tempered is the beast, if I can call it that, one is affected by every twitch and grunt."

Resultado de imagem para republican elephantÊtre votre voisin, c'est comme dormir avec un éléphant; quelque douce et placide que soit la bête, on subit chacun de ses mouvements et de ses grognements.
 Pierre Trudeau, Washington, DC 1969

Dizia o Primeiro Ministro do Canada Pierre Trudeau em 1969 que morar ao lado dos Estados Unidos era como dormir como um elefante.
Afinal, onde é que um elefante se deita ?    Onde quiser!

Que estarão dizendo o Mexico e Canada, os vizinhos do elefante,  em 2016?


sexta-feira, novembro 18, 2016

EdM compra electricidade de nova central carvão

Resultado de imagem para Ncondezi Coal CompanyCentral a carvão de Ncondezi (300MW), com um custo de US $ 1.000,00m (Capital: US $ 300,00m, Dívida: US $ 700,00m)localizada em Tete, Moçambique.

O projeto está sendo desenvolvido pela Ncondezi Energy, que espera finalizar seu acordo de desenvolvimento conjunto com a Shanghai Electric Power (SEP). O acordo prevê que a SEP tome uma participação de 60% na empresa de projetos Ncondezi Power Company, fornecendo US $ 25,5 milhões em fundos de ações para corresponder aos US $ 17 milhões de custos históricos de desenvolvimento da Ncondezi.
O projeto deverá custar cerca de US $ 1 bilhão no total, incluindo o custo de uma linha de transmissão de 90 km conectando o projeto à rede. Financiados em grande parte por instituições de financiamento do desenvolvimento.
A central  vai queimar carvão de uma mina a céu aberto de propriedade da Ncondezi, produzindo cerca de 1,2 milhão de toneladas de carvão por ano. Está em negociação um contrato de abastecimento de energia de 25 anos à  EdM Electricidade de Moçambique, como offtaker,  pago em dólares norte-americanos.
A central consumiria 7,2 milhões de toneladas métricas anualmente de carvão fornecido por uma mina de carvão térmico a céu aberto.
A operação de mineração produzirá 1,3 milhão de toneladas de carvão ao longo de uma vida útil de 25 anos, com reservas de carvão estimadas em 4,7 bilhões de toneladas e recursos de 120 milhões de arqueação lavável in situ.
Fontes; IJGlobal, http://www.sourcewatch.org/index.php/Ncondezi_power_station

Encontro de cientistas portugueses, 22-Nov, 17h30 Pavilhão do Conhecimento

Resultado de imagem para pavilhão do conhecimentoA rede Global Portuguese Scientists (GPS.PT) quer contribuir para ajudar a conhecer a mobilidade dos investigadores portugueses pelo mundo, de modo a aumentar a sua visibilidade e reconhecimento em Portugal, facilitar contactos, colaborações e transferências de conhecimento.

Todos se podem registar, mas os que aparecem no mapa são apenas os investigadores que em qualquer fase da sua carreira trabalharam por um período de pelo menos três meses fora de Portugal.

A rede GPS terá uma sessão pública de apresentação no próximo dia 22 de Novembro, no Pavilhão do Conhecimento, às 17h30. A entrada é livre, mediante inscrição em:

https://www.ffms.pt/conferencias/detalhe/1763/apresentacao-gps-global-portuguese-scientists

É uma iniciativa da Fundação Francisco Manuel dos Santos, concretizada através de uma colaboração com a Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica - Ciência Viva, a Universidade de Aveiro e a Altice Labs. Tem como parceiros várias associações de portugueses com qualificações superiores residentes no estrangeiro: a Associação de Pós-Graduados Portugueses na Alemanha (ASPPA), a Association des Diplômés Portugais en France (AGRAFr), a Portuguese American Post-graduate Society (PAPS), a Portuguese Association of Researchers and Students in The UK (PARSUK) e a Native Scientists.

A rede GPS são todos os investigadores que nela se registam e a dinamizam.

Registe-se em gps.pt e ajude a construir esta rede!

David Marçal
dmarcal@cienciavia.pt
Coordenador da rede GPS

quarta-feira, novembro 16, 2016

Educação e democracia

"A educação torna um povo fácil de guiar, mas difícil de dirigir, 
fácil de governar, mas impossível de escravizar." 

A primeira vez que li esta citação sobre a importância da educação para a boa governação, foi num folheto da Portuguese American Scholarship Foundation, em Newark, NJ.  A PASF tem apoiado a educação de luso-americanos desde 1966  e eu tive o privilégio de fazer parte da sua Comissão de Bolsas em 1987 e 1988.  

Sabemos que a educação não é panaceia para todos os males.  Mas se o trabalho de educadores e professores for menosprezado ou ineficaz, ficamos todos pior.

Entretanto, surge um (novo?) fenómeno,  os LIVs, Low Information Voters,  eleitores de pouca informação, que desconhecem certos fatos básicos e que carecem do que os psicólogos chamam de "necessidade de cognição".


sábado, novembro 12, 2016

2016 Presidential Election Interactive Map

2016 Presidential Election Interactive Map: Interactive map for the upcoming 2016 presidential election. Use it to predict which candidate will reach the necessary 270 electoral votes.

Numa democracia, não há candidatos errados, apenas eleitores tontos

Resultado de imagem para hillary never stop believingPrognósticos só no fim das eleições

Economista não deve fazer previsões políticas, mas todo o cidadão deve ter uma opinião bem informada, e sobretudo preparar-se para enfrentar as consequências da decisão colectiva.  Apesar de ter ganho o voto popular, Hillary Clinton ganhou apenas em 20 dos Estados.  E nos Estados Unidos, a eleição presidencial depende do sumatório das eleições estaduais, o tal Electoral College.  
Fala-se muito do apelo de  Donald Trump aos eleitores sofredores e esquecidos, mas a taxa de desemprego americana é de apenas 4,9%, o que pode ser considerado pleno emprego.
Dos 20 Estados com desemprego acima da média, 8 Estados votaram em Hillary, incluindo New Mexico. Dos 30 Estados que votaram no Trump, 17 Estados têm desemprego abaixo da média nacional americana.

Em Portugal o desemprego  é bastante superior (acima de 12% desde 2019) mas os portugueses votam com os pés, emigram.  Em suma,

      In a democracy, people get the leaders they deserve.
      In a democracy, there are no wrong candidates, only foolish voters.

A 5-Novembro-2016 o DN convidou para almoço e conversa acerca das eleições americanas.  Eis alguns excertos da entrevista no DN, que pode ser vista em:
http://www.dn.pt/mundo/interior/hillary-e-uma-mulher-de-armas-se-for-eleita-sera-historico-5480896.html  

"Quando Mariana chegou aos Estados Unidos, Lyndon Johnson era o presidente. Seguiram-se Nixon, Gerald Ford, Jimmy Carter e Ronald Reagan. Confessa que desde que obteve a dupla cidadania passou a votar, mas "nunca automaticamente". Olha sempre com atenção para o boletim de voto, que costuma ser complexo, com candidatos a presidente, a congressista, a mayor, e admite que votou já "ocasionalmente num ou noutro partido. O meu voto não está cativo".

Por isso hoje vota, à distância, como residente de Nova Jérsia. Pousa o garfo e a faca e procura mais uma folha com gráficos. Desta vez é o peso eleitoral de cada um dos 50 estados e de como os americanos no exterior valeriam tanto como o Colorado se fossem considerados um círculo.

pergunto se alguma vez teve atividade partidária. Responde que não, que não a atrai. Mas que sente vontade de intervir na sociedade, seja como economista seja como cidadã. Por isso tem os blogues PPP Lusofonia e beijozxxi, integra a Soroptimist Portugal (uma espécie de Rotários só para mulheres) e é tesoureira da Sousa Mendes Foundation (dos Estados Unidos), além de presidente do American Club de Portugal.

Regressamos à política americana. Mariana não gosta quando ouve falar mal dos Estados Unidos. "Têm coisas más e coisas boas, como qualquer país. Mas têm de ter muitas coisas boas mesmo, já que são tão bem-sucedidos." Sobre estas eleições, em que o favoritismo de Hillary Clinton no campo democrata se comprovou apesar do desafio de Bernie Sanders, mas em que os republicanos se deixaram surpreender nas primárias e têm agora Trump como candidato, a economista admite ter feito um esforço para estar a par. Conta que há uns meses, para se preparar para uma entrevista, esteve a ver vários vídeos de Trump: "Tinham todos três ou quatro minutos. E sempre o mesmo formato. Os primeiros 30 segundos era a falar de barbaridades, tipo excluir os imigrantes. Mas depois, quem ainda não tivesse desligado, ouvia Trump a falar do desemprego de longa duração, de cidades que já tinham tido tempos bons mas agora viviam os maus, como Cleveland. E isto fez-me pensar nos riscos que é a democracia ignorar os perdedores da globalização. É que se em Portugal esses votam com os pés, emigram;  nos Estados Unidos votam nas urnas."

Que Trump consiga apelar a muitos americanos "é assustador", acrescenta a luso-americana. "Não está preparado para ser presidente. Aproveitou-se da notoriedade para ganhar apoio. E muitos republicanos tardaram demasiado a afastar-se. Ainda no outro dia ouvi a Condoleezza Rice a dizer que era contra Trump. Não percebo porque só agora." Além de impreparado, que seja sexista e xenófobo também a incomoda.


Já sobre Hillary, realça que se trata de "uma mulher muito inteligente, o que nem sempre é fácil. Tem uma capacidade de assustar muita gente. Mas tem sido uma líder desde a universidade. E possui uma visão estratégica. O problema é que para ganhar não é preciso o mesmo que para governar". Insisto se não quer mesmo dizer em quem votou para as presidenciais de dia 8. "O voto é secreto", responde, com um sorriso.

Pedimos a conta e preparamo-nos para nos despedir. Chega um licor de menta, oferta da casa (quando chega a conta, descubro que também as entradas foram uma gentileza). Mariana elogia o restaurante (Ingrediente no Alto de Algés), diz que almoça aqui várias vezes, outras vezes compra-lhes comida para levar para casa, ali perto. "Gosto do comércio de proximidade. Nos Estados Unidos é comum o zoning, zonas bem separadas para habitação e comércio. É um daqueles casos em que prefiro Portugal à América. Mas temos de dar o nosso contributo para defender estes restaurantes de bairro", salienta. É a tal "citizenship", ou cidadania, palavra que ouviu pela primeira vez quando chegou à América. Outra foi "leadership", liderança.


Em 2017, o American Club celebra 70 anos como forum de diálogo e discussão. E prepara uma grande conferência em outubro com os American Club da Europa. Entretanto, continuará a promover os "american values", diz Mariana, e os almoços-debate. Há dias foi Catarina Albuquerque a convidada, a portuguesa que foi a primeira relatora da ONU para a Água. No dia 9-Nov, acontecerá um jantar Day After, com Nicholas Kralev, um politólogo americano, que vai analisar o resultado das eleições da véspera. Falará certamente da clivagem entre democratas e republicanos, que a presidente do American Club considera um dos grandes problemas dos Estados Unidos."