Tradutor

terça-feira, março 06, 2012

Alvaro incomoda muita gente


Sendo eu própria estrangeirada, ainda que retornada há mais tempo, tenho observado os comentários ao comportamento desalinhado do Ministro Álvaro Santos Pereira com alguma curiosidade. 
Num país conformista, há pouco apreço e menos tolerância pela diferença. 

Mas talvez valesse a pena reflectir que as visões e opiniões diferentes podem trazer muito valor acrescentado, especialmente considerando a terrível situação a que Portugal chegou.  
Precisamos certamente de ideias e abordagens frescas para mudar de rumo.  Se continuarmos a fazer tudo da mesma maneira como no passado, vamos certamente continuar a sofrer os mesmos resultados penosos, que nos custarão ainda mais agora que já não temos o crédito fácil para compensar.  

Como responsável do super-ministério da Economia, Obras Públicas, Trabalho e Comunicações, Alvaro Santos Pereira precisa tanto de criatividade como de força politica para dar a volta a alguns dos problemas mais graves e a desinstalar alguns dos interesses mais ferrenhos. 

Se um ministro incomoda muita gente, um super-ministro incomoda muito mais.  Haverá muitos  interesses nos sectores de energia, de transportes,  das  PPP e dos sindicatos prontos a explorar a natural tensão entre as Finanças e as outras Tutelas, e até os ponta-pés na gramática, para o afastar e assim descarrilar os processos de reforma em curso, pelo menos por algum tempo.    

Só que as reformas dos sectores sob tutela do super-ministério são imprescindíveis e inadiáveis.  Foi a Troika que diagnosticou as falhas de regulação, desde o mercado laboral, à energia, aos transportes e às PPP, e que aponta as reformas necessárias para acabar com a captura dos reguladores e dos concedentes.  Quanto mais tempo perdermos nestes conflitos artificiais,  menos tempo haverá para negociar e implementar  as medidas prementes e mais duro será o ajustamento. 

Mariana ABRANTES de Sousa 
PPP Lusofonia