Tradutor

terça-feira, abril 01, 2014

EU - quem paga manda

Os fundos do próximo Quadro Comunitário de Apoio não pode utilizado para financiar quaisquer  infra-estruturas rodoviárias em Portugal, nem sequer as chamadas ligações de “last mile” (de fecho de rede) entre vias e equipamentos estruturantes
A EU define apenas quatro objectivos para o investimento: 

  1. Inovação e investigação 
  2. Agenda digital  
  3. Apoio às pequenas e médias empresas 
  4. Fomento da economia baseada num baixo nível  e na mitigação de emissões de carbono
Até aqui tudo bem.  De facto, se Portugal ainda tem redes de transportes incompletas depois de quase 30 anos de financiamento europeu,  não é por falta de dinheiro certamente. 
Mas as frases  soltas como a "agenda digital" indiciam mais a importação de bens de informática do que a utilização de Internet para a exportação de bens e serviços. 

A grande lacuna é mesmo a orientação para a exportação e a substituição de importações.  
E aí, os fundos comunitários têm sido parte do problema, ainda não passaram a ser parte da solução.