Tradutor

sábado, março 02, 2013

Superavit comercial aumenta divergência insustentável


Desiludam-se os analistas que contavam com o fim da divergência das balanças de pagamentos, como seria de esperar num processo de ajustamento envolvendo a redução tanto dos défices como dos superavits de comércio externo dentro da Eurozone.  


O excedente comercial da Alemanha aumentou em 2012 para 188,1 mil milhões de euros, face aos 158,7 mil milhões de euros atingidos no ano anterior,  o segundo maior superavit dos últimos 60 anos atrás do superavit de  195,3 mil milhões em 2007.


O recorde histórico do excedente comercial da Alemanha em 2012, mesmo com um Euro relativamente forte, quase sempre acima de USD1,30/EUR, demonstra que as vantagens comparativas se acumulam a favor dos grandes exportadores.   Os exportadores líquidos são também os maiores credores,  beneficiando de um circulo virtuoso de superávits tanto comerciais como  financeiros.  A assimetria comercial reflecte-se numa forte assimetria de liquidez e de crédito, sem o qual os pequenos países importadores ficam condenados a défices comerciais sucessivos e a endividamento crescente.

Assim, o excedente comercial recorde da Alemanha em 2012,apesar de alguma inversão no quarto trimestre, é altamente preocupante pois indica a falta de ajustamento e da convergência entre parceiros comerciais que é imprescindível para a resolução de crise financeira.

Esta divergência comercial persistente, devida em parte à falta de instrumentos e de empenho no ajustamento entre os vários parceiros comerciais, é a causa fundamental que afasta qualquer solução sustentável para a crise de sobre-endividamento insustentável.

A eleições italianas, ou as manifestações portuguesas, são apenas sintomas do arrastamento  e agravamento da crise de comércio internacional, ainda que bastante graves.

Mariana Abrantes de Sousa
PPP Lusofonia

Testing the limits of divergence in the Eurozone   http://ppplusofonia.blogspot.pt/2011/12/eurozone-crisis-tests-limits-of.html