Tradutor

sexta-feira, outubro 23, 2009

Impacto de grandes investimentos, OEng, 2-Nov-09

2 de Novembro de 2009 – 16h30 Auditório da Ordem dos Engenheiros

Programa de Seminário

AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS DOS GRANDES PROJECTOS DE INVESTIMENTO
Eng. Fernando Santo, Bastonário da Ordem dos Engenheiros
Moderador: Eng. Carlos Matias Ramos,
Presidente do LNEC – Laboratório Nacional de Engenharia Civil

Impactos dos grandes projectos de Investimento
Prof. José Viegas, Instituto Superior Técnico (Universidade Técnica de Lisboa)

Private Financing for Public Infrastructure – A Practitioner’s Overview
Eng. Paolo Lombardo (Head of Division – Project Structured Finance – Credit Risk Department – Banco Europeu de Investimento)

EIB Financial Support to Sustainable Cities
Prof. Mario Aymerich (Head of Division – Urban Transport & Other Urban Infrastructure Division – Projects Directorate – Banco Europeu de Investimento)

Avaliação dos Impactos da 1.ª Fase do Metro do Porto (avaliação ex-post)
Prof. Manuel Vilares (Instituto Superior de Estatística e Gestão de Informação – Universidade Nova de Lisboa)
Prof. Paulo Pinho (Faculdade de Engenharia – Universidade do Porto)
Apresentação do Livro
Avaliação das Grandes Obras Públicas. O Caso do Metro do Porto”
Autores: Prof. Paulo Pinho e Prof. Manuel Vilares
Apresentação: Dr. Carlos Costa (Vice-Presidente do Banco Europeu de Investimento)

Inscrições: Ordem dos Engenheiros – Secretariado dos Colégios
Tel. 213 132 662
Av. António Augusto de Aguiar, n.º 3 D
1069-030 LISBOA Portugal
VER declarações do Bastonário da Ordem dos Engenheiros no Público
A avaliação (ex-post) do impacto de projectos de investimento é um instrumento essencial para melhorar a productividade e sustentabilidade do investimento público, que tem sido um problema crónico em Portugal durante décadas. Os impactos directos, indirectos e induzidos têm de ser identificados e quantificados, incluindo as externalidades que podem ser tanto positivas como negativas. Fundamentalmente, o impacto de um projecto é avaliado a partir do uso ou aproveitamento que é dado à infraestrutura, isto é o tráfego, tráfego, tráfego...
VEJA-se que até nos pequenos projectos pode haver mais investmento do que aproveitamento, quando a obra é mal concebida ou mal executata, isto é "not fit por purpose".
E o contribuinte é que paga.