Tradutor

segunda-feira, outubro 19, 2009

Velhos do Restelo Acrescentam Valor

"Please feed the bears", diz o editorial de The Economist de 3-Outubro-2009, reconhecendo que os investidores pessimistas contribuiem para a eficiência da economia, ao contestar as subidas mais exuberantes dos mercados que alimentam os "bulls" e ao apontar os riscos e complicações imprevisíveis.

O artigo recorda também que as autoridades apressam-se a resgatar os investidores mais optimistas quando a bolha rebenta, mas ninguém ajuda os pessimistas. Esta assimetria da actuação dos reguladores promove riscos excessivos e falta de prudência.

Diz o ditado que dos vencidos não reza a história, mas nós continuamos a falar dos "Velhos do Restelo", os pessimistas que não auguravam nada de bom para as armadas dos descobridores Vasco de Gama e Alvares Cabral, quando as naus portuguesas zarpavam rumo ao desconhecido.
De facto, o que nos dizem hoje as melhores práticas de "risk management" é que é importante escutar bem os pessimistas, a fim de identificar os riscos, e de antecipar e precaver o que pode correr mal para tirar melhor proveito do que vier a correr melhor.
A análise e mitigação do risco, baseados nas opiniões divergentes, são essencial à boa gestão.
O excesso de conformismo leva-nos a ignorar riscos, a ser apanhados de surpresa, o que se paga bem caro.

Por isso os Velhos do Restelo continuam a fazer um contributo valioso, passados 600 anos.
Quem avisa, amigo é.
VER alerta da Moody's