Tradutor

sexta-feira, maio 04, 2012

Diáspora e Lusofonia essenciais para o crescimento

Presidente da República Cavaco Silva esteve com os empresários portugueses no estrangeiro no quarto encontro do Conselho para a Globalização  Este grupo, promovido pela COTEC  desde 2006, reúne 24  participantes que têm trajectos profissionais fora de Portugal, acumulando um vasto e precioso capital de experiência e influência em diferentes países e organizações.
‘Portugueses Reencontram-se - 
O Papel da Diáspora no Desenvolvimento de Portugal'
Data:      4-Maio-2012
Local:    Palácio da Cidadela, em Cascais 
Organização: COTEC  http://www.cotecportugal.pt/


Alguns dos objectivos do grupo e temas do encontro são:  

- Identificar soluções para o desenvolvimento de Portugal tirando partido da rede de empresários portugueses
-  Favorecer a  imagem de Portugal no estrangeiro 

- Captar Investimento Directo Estrangeiro para Portugal
- Interligar as universidades portuguesas com as empresas nacionais e internacionais
- Apoiar empresas portuguesas  integradas em  cadeias de valor  multinacionais
- Apoiar o financiamento de Portugal, especialmente das empresas privadas e da exportação 

- Desenvolver os sectores de exportação,  não só nos sectores tradicionais como o calçado, cortiça, têxteis, moldes e mobiliário, mas também  outros  sectores domésticos com elevado potencial de internacionalização, tais como a distribuição, as engenharias  e consultorias e as infra-estruturas
-Apostar no turismo especializado, sénior e de saúde 

- Explorar o potencial  de Portugal no mercado de ‘near shoring", a prestação de seviços  como contabilidade, informática ou centros de apoio,  a clientes de países vizinhos 


A ideia do encontro  é criar um "sentido de urgência para as mudanças necessárias ao sucesso no mundo globalizado", alinhar esforços e  mobilizar as energias da Diáspora portuguesa e da  Lusofonia para objectivos comuns.

Para Cavaco Silva, com mais de 5 milhões de portugueses e luso-descendentes no exterior e  com a Lusofonia,   "Portugal será sempre mais que o seu território".