Tradutor

segunda-feira, julho 01, 2013

Croácia busca solução para seus problemas políticos na União económica

Boas vindas à Croácia como 28º país membro da União Europeia. 

Ouvir a esperança dos croatas que a agregação a nível supra-nacional na União Europeia venha a acabar com os nacionalismos fratricidas das Balcãs, 20 anos depois de uma terrível guerra civil é tão comovente como arrepiante.  
Este desiderato faz-nos recuar seis décadas de 2013 para 1953.  Depois de duas grandes guerras, também na  Europa do pós-guerra se esperava que a integração económica tão aproximasse os antigos inimigos que uma terceira guerra viesse a ser impossível.

Mas os sucessivos alargamentos da União Europeia,  e introdução da moeda única em 2000, trouxeram mais divergência e não convergência entre os países membros, especialmente entre os grandes exportadores e os pequenos importadores, uma divergência evidentemente insustentável.  E os pequenos países cederam quase todos os seus instrumentos de defesa, restando-lnos agora apenas a força das nossas fragilidades, a capacidade de estragar a festa aos vencedores, obrigando-os a assumir parte do custos da divergência económica.

Isto é muito pouco para quem esperava tanto da integração europeia nos momentos idos de 1986.

Se a União Europeia fosse um  grande clube, como o irmão ligeiramente mais velho, nós  recomendaríamos a entrada a  uma irmã mais pequena e mais frágil?
Talvez, se tiverem mais juízo do que nós.

Mariana Abrantes de Sousa
PPP Lusofonia