Tradutor

sexta-feira, janeiro 09, 2009

Sinistralidade urbana persiste

Em 2008, registou-se o menor número de sempre de mortes nas estradas nacionais: 772.

O presidente do Automóvel Clube de Portugal, Carlos Barbosa congratula-se com a efectiva diminuição de vítimas mortais em 2008 (e também dos feridos graves que passaram de 3116 para 2587)

O dirigente do ACP alertou, contudo, para a alta sinistralidade existente nos meios urbanos, apontando Lisboa como um exemplo de má gestão do tráfego e, em consequência, potencial pólo de acidentes.

"PSP, Polícia Municipal e até a EMEL, todos multam, todos querem mandar no trânsito.
É muita gente a querer mandar, mas muito pouca gente a efectuar as necessárias campanhas de prevenção e a solucionar os problemas existentes", disse.

Fonte: PUBLICO 8 DE JANEIRO