Tradutor

segunda-feira, junho 28, 2010

Tudo sobre economia e finanças nos provérbios financeiros

Ás vezes, parece que tudo o que eu precisava saber sobre economia e finanças, podia ter aprendido com os ditados populares na minha aldeia.     

Os provérbios sintetizam as duras lições de décadas, e até de séculos, o que infelizmente não nos impede de ter que os voltar a aprender, por experiência própria, em cada geração.  


Recordar os provérbios financeiros e os ditados dos nossos mais velhos,  poderia ter-nos  ajudado bastante ...

... a escapar à   "Folia dos Fiados",   "Quem não tem dinheiro, não tem vícios"

... a evitar o  sobre-endividamento, " Quem compra o que não pode, vende o que não quer

... a aceitar a desalavancagem forçada,  "Vão-se os anéis, ficam os dedos


... um emprego perdido, ou um negócio que deixou de dar é "chão que deu uvas"

... a fazer uma gestão mais cuidadosa dos riscos   "Quem tudo quer, tudo perde"

... a escolher melhor os bancos, "A quem do seu foi mau despenseiro, não fies o teu dinheiro"

... a desconfiar do défice e da desorçamentação da despesa pública,  pois  "Quando a esmola  (subsídio) é grande, o pobre (contribuinte) desconfia",    "A verdade (a dívida)  é como o azeite,  vem sempre ao de cima

... a gerir melhor os  conflictos de interesses, "Amigos, amigos, negócios à parte

... a cultivar o bom nome na praça,  e a comunicar melhor com os credores e as agência de rating, "Quem não deve não teme", e 


a aceitar serenamente as exigências dos credores  "Ao bom pagador não dói o penhor"


...o bom planeamento financeiro pessoal, "poupa hoje, ou trabalha amanhã",   pois é necessário fazer boas escolhas e definir prioridades, pois "não é possível ter sol na eira e chuva no nabal"...

Já agora, podíamos recordar a  importância dos consensos, "A união faz a força" e, 
sobretudo,   ... a  necessidade de arregaçar as mangas e pôr mãos à obra,  "ociosidade é mãe de todos os vícios"
... etc


...e a importância de cortar as despesas para um ajuste mais rápido, em vez de adiar as medidas de austeridade... quem não verga, parte...


A quem faz vida de Cigarra Extravagante, em vez de Formiguinha Poupadinha, podemos avisar... "Fia-te na Segurança Social e não poupes", a versão moderna do tradicional "Fia-te na Virgem e não corras!!"

Quem tem coragem para ver a realidade com os olhos bem abertos ...sabe dizer quando "o Rei vai nu"


Acrescentem  um comentário com o vosso ditado ou provérbio favorito ....