Tradutor

quarta-feira, março 12, 2014

País bimby vai caindo na real

O FMI diz que a divida publica portuguesa é marginalmente sustentável, se não houver nenhum agravamento.  Fala-se num manifesto a apelar à reestruturação da dívida de modo a criar condições para que haja crescimento e emprego, uma iniciativa baseada na conclusão de que Portugal não consegure reembolsar a dívida externa nos seus termos actuais. 

Já em Outubro 2012 se falava em renegociar as condições de pagamento para  2% e a 20%.  

Portugal está mais endividado até do que a Grécia e a divida externa é insustentável, contrário ao que diz o FMI que foca apenas a divida pública e  ainda continua a exclui a divida das SEE e das PPP, uma ilusão.  De facto, o problema de sobre-endividamento da economia Portuguesa teria sido detectado muito mais cedo se se tivesse controlado correctamente na Divida Externa Bruta. Devemos recordar que quem deu o primeiro alerta a respeito das PPP não foi o FMI mas sim a OCDE.

Noutros aspectos o FMI tem razão: não há volta atrás, para o  modelo insustentável,  focado no consumo, nas importações e nos investimentos improdutivos.   Mas continuamos a ouvir pessoas a lamentar-se quando se fala de cortes permanentes na despesa pública.  E as importações recorde de máquinas para  fazer sopa são  uma vergonha.   E a propor portos e caminhos de ferro onde não há carga.

As campanhas bancárias e de crédito ao consumo continuam desatinadas.  Mostram como boa parte de Portugal continua em negação a respeito da situação financeira, e da desalavancagem necessária, no sector público mas também no sector privado, famílias, empresas e até concessionárias de PPPs.
Se a dívida pública representa 129% do PIB, a dívida do sector privado não financeiro chega a 255%, um nível  incompreensível.

Esta desalavancagem só se consegue  em acordo de credores, e eles não estão para aí virados.  Veja-se que os própios BEI e ECB só financiam com base em garantias e caucões.  O  redlining ou cerco aos devedores continua a apertar-se.  Mas  é melhor do que continuar a endividar-nos para comprar quinquilharia importada.

Com credores como estes quem precisa de inimigos.
Preciamos é de condições de pagamento a 2% e a 20 anos

Ver http://ppplusofonia.blogspot.pt/2012/10/precisamos-de-condicoes-de-pagamento-20.html
Resumo em português http://www.imf.org/external/lang/portuguese/np/blog/2014/021914p.pdf
Relatório FMI  Fev-2014 http://www.imf.org/external/pubs/ft/scr/2014/cr1456.pdf
Manifesto http://www.tvi24.iol.pt/economia---economia/manifesto-divida-personalidades-reestruturacao-da-divida-ministros-politicos/1543633-6377.html
Redlining  na Eurozone http://ppplusofonia.blogspot.pt/2014/03/redlining-in-eurozone.html
Portugal obcecado pela Bimby e outros aparelhos http://www.tvi24.iol.pt/videos/video/14044500/54
Debt Workout 101 http://ppplusofonia.blogspot.pt/2012/10/debt-workout-101-sinais-de-alerta.html