Tradutor

terça-feira, maio 01, 2007

Espanha está a ficar mais "gorda"

Segundo os resultados da Sondagem Nacional de Saúde efectuada em 2006 em Espanha, 52,7% da população adulta e 27,6% dos menores de idade têm excesso de peso e obesidade.
Cerca de 44,4% dos homens de 18 anos e acima desta faixa etária têm excesso de peso, enquanto que nas mulheres essa percentagem é de 30,3%.
15,5% dos homens e 15% das mulheres apresentam um índice de massa corporal considerado como obesidade.
Na população dos 2 aos 17 anos, 18,5% sofre de excesso de peso, e 9,1% de obesidade.
Do total de entrevistados nesta sodagem, 74,1% dos homens considera a sua saúde boa ou muito boa, sendo esta percepção diferente nas mulheres, sendo apenas 63,6%.
Esta sondagem, elaborada pelo INE, foi divulgada primeiramente pelo Ministerio de Sanidad , revelando que do total da população espanhola, 68,8% considera o seu estado de saúde bom ou muito bom. Nos adultos, a percepção de um bom estado de saúde é menor (36,8%), sendo a percentagem maior nos menores de 16 anos e na faixa etária dos 16 aos 24 anos, 88,8% e 87,9%, respectivamente.
O álcool e o tabaco são factores que também se encontram presentes na população espanhola e que podem influenciar estes resultados.
Assim sendo, 30% da população com 16 anos ou mais declara-se fumadora. Por outro lado, 70,6% afirma ter consumido bebidas alcoólicas nos 12 meses anteriores à sondagem.
Relativamente aos bons hábitos praticados pelos espanhóis, 59,6% da população adulta realiza exercício físico no seu tempo livre, sendo os homens os que mais fazem exercicío físico (63,1%) e as mulheres (56,3%).
Para além disso, 22,3% da população afirma ter dificuldades para realizar as actividades da vida diária devido a um problema de saúde. Estas dificuldades são mais frequentes na população adulta.
Quanto a actividades preventivas, esta sondagem demonstra que 21% da população (20,7% dos homens e 21,3% das mulheres) tomou a vacina contra a gripe, sendo este número superior na faixa etária dos maiores de 64 anos, atingindo 71,8% dos homens e 65,8% das mulheres.
Segundo outro estudo, o qual se pode ler no artigo abaixo, a publicidade tem efeito no aumento de consumo de alimentos por parte das crianças, sendo as crianças espanholas neste momento as mais obesas da Europa. A proporção de crianças obesas em idade escolar na Europa, aumentou cerca de 50% desde finais dos anos 90, segundo dados da "Revista Internacional de Obesidade Pediátrica".
A prevenção e tratamento da obesidade é muito importante, prevendo-se um combate a esta doença em Espanha, com o apoio às pessoas obesas, recebendo estas tratamento dietético, psicológico e cirúrgico.
O problema da obesidade (nos menores sobretudo), tem vindo a intensificar-se nos últimos anos, afectando sobretudo os países mais desenvolvidos a nível mundial. É necessário por isso, tentar educar as crianças com políticas preventivas da obesidade e um maior controlo da publicidade dirigida às mesmas, obrigando as empresas de bens alimentares de grande consumo a adaptarem o seu "portfolio" de produtos a uma oferta mais saudável e equilibrada para os menores. Pois estes, continuam a ser o alvo preferencial destas campanhas que incentivam ao consumo, situação esta que por vezes nem os professores nem os pais das crianças conseguem controlar, pois estes encontram-se na maior parte do tempo na escola, sendo aí que cometem os maiores erros alimentares.

Fonte: "www.20minutos.es", 30 de Abril de 2007.