Tradutor

terça-feira, janeiro 29, 2013

Tribunal dá razão à Islândia

Na guerra entre credores e devedores, quem ganha de certeza são os advogados.
Mas às vezes também se faz justiça.

Os contribuintes islandeses podem respirar de alívio com a decisão do Tribunal da EFTA  no caso da Islândia anunciada hoje  que acaba com o  equívoco  os esquema de garantias de depósitos representam um aval do Estado soberano de  reembolso integral a todos e quaisquer depositantes, quer os pequenos aforradores locais quer os grandes investidores profissionais estrangeiros.


O que se tornou mais que evidente é que  bancos de países pequenos não devem tentar atrair depósitos off-shore  com a promessa do aval implícito dos contribuintes locais.  Os contribuintes dos países pequenos já bastante que que fazer para proteger os depositantes locais, a regra das viúvas e órfãos   

Por definição, não os  depositantes e investidores estrangeiros não "viúvas e orfãos", são investidores sofisticados têm obrigação de conhecer os riscos que assumem ou investir longe de casa.  
Não há que ter pena deles.
Na ausência de um esquema europeu de garantia de depósitos, caveat depositor.

Parabéns à Islândia, país pequeno, grande coragem.



Fonte: http://ftalphaville.ft.com/2013/01/28/1357342/icesaved/  e
http://www.publico.pt/economia/noticia/islandia-vence-caso-icesave-e-nao-tem-re-reembolsar-reino-unido-e-holanda-1582473

Ver mais sobre o exemplo da Islândia http://ppplusofonia.blogspot.pt/2012/05/submerging-in-eurozone-tsunami.html
e sobre garantia de depósitos a nível europeu http://ppplusofonia.blogspot.pt/2012/07/european-deposit-insurance-continues.html