Tradutor

quinta-feira, março 26, 2015

Foi você que vendeu gato por lebre ?

Comissão BES/GES: Governador do BdP admite perdas para os clientes lesados
A análise de Mariana Abrantes de Sousa, economista, e Hélder de Oliveira, Ordem dos Economistas, num programa conduzido por Sandra Xavier. "Conselho Consultivo" de 25 de Março de 2015.  http://videos.sapo.pt/ac6lrryVlKyAefEMACWM
O caso dos investidores que compraram papel comercial do GES aos balcões do BES demonstra mais uma vez a importância de segregar o negócio de banca de investimento do negócio de banca comercial simples, de depósitos bancários e de crédito bancário. A desintermediação financeira é interessante, mas não é para todos. Deve ser reservada apenas para profissionais e outros investidores sofisticados.

Cabe ao supervisor bancário proteger as poupanças dos aforradores particulares comuns (widows & orphans), assegurando o seu acesso a depósitos bancários cobertos pela garantia de depósitos.

Já no caso do BPP, os aforradores ambiciosos mas inexperientes e imprudentes tinham sido levados a aplicar os seus fundos em tudo menos depósitos bancários.

O caso do papel comercial do GES vendidos pelo BES  a aforradores não
sofisticados de retalho é mais um exemplo das falhas de regulação que são a principal causa da crise financeira.  Por isso, justifica-se ser o  Fundo de Garantia de Depósitos a proteger os aforradores mais vulneráveis.

Ver mais sobre a separação de banca comercial de banca de investimento e o Glass Steagall Act de 1933 em  http://pt.wikipedia.org/wiki/Lei_Glass%E2%80%93Steagall
e outra legislação do New Deal http://ppplusofonia.blogspot.pt/2012/06/new-deal-essential-to-overcome-european.html