Tradutor

domingo, abril 30, 2006

INA-Cooperação e Desenvolvimento, 2-Maio

Conferências sobre Cooperação para o DesenvolvimentoPróxima Conferência: Prof. Doutor Nelson Lourenço - 2 de Maio de 2006 - 11h00 às 12h30 - INA, Oeiras
No âmbito do Diploma de Especialização em Cooperação para o Desenvolvimento (DECODE), realizar-se-á no próximo dia 2 de Maio a 2ª conferência do ciclo subordinado a esta temática. Esta iniciativa visa proporcionar um espaço aberto à divulgação e ao debate de alguns dos principais assuntos e desafios que se colocam actualmente à Cooperação para o Desenvolvimento (Nacional e Internacional).
A próxima conferência, a proferir pelo Prof. Doutor Nelson Lourenço será subordinada ao tema: “Desenvolvimento Sustentável, Equidade e Segurança Humana: Desafios da Sociedade do Conhecimento”.

terça-feira, abril 25, 2006

Administradores ganham mais em Portugal

De acordo com um artigo publicado no Jornal de Negócios de 24 de Abril de 2006, os administradores de empresas cotadas na Bolsa Nacional, ganham, em média, 416 mil euros por ano. Em Espanha, apesar das empresas lucrarem mais e terem um valor de mercado quase nove vezes superior, a remuneração média não passa dos 400 mil euros.
Trabalhar na Banca é sinónimo de maiores remunerações, quer em Portugal, quer em Espanha.
Em Portugal, O BCP surge destacado com mais de 31 milhões de euros de remunerações. Do outro lado da fronteira, o Santander e o BBVA são os que pagam mais.

No ano passado, os lucros das cotadas portuguesas do PSI-20 subiram 85% e os salários das respectivas administrações cresceram 8%, em comparação com os 6,3% das empresas que cotam em Espanha. No entanto, o aumento verificado nas remunerações dos gestores de empresas portuguesas ficou muito aquém do aumento dos lucros conseguidos pelas cotadas em idêntico período.

http://es.biz.yahoo.com/10042006/4/economia-empresas-empresas-cotizadas-aumentaron-40-72-beneficio-2005-38.html

segunda-feira, abril 24, 2006

Infra-estrutura Norte e Galicia, Santiago de Compostela, 26 Abril


Infra-estrutura e transportes no Norte e Galicia, 26 Abril, Santiago de Compostela

Banco Simeón, do Grupo Caixa Geral promove um Almoço Debate , no dia 26-Abril, 14h, sobre: “O papel das infra-estruturas no desenvolvimento do Noroeste da Península”
em Santiago de Compostela no Hostal de los Reyes Católicos
Estarão presentes o Ministrio das Obras Públicas Transportes e Comunicações Eng Mário Lino e as autoridades da Xunta da Comunidade da Galiza, empresários e gestores das principais empresas nortenhas e galegas e comunicação social.

sábado, abril 22, 2006

Empresas portuguesas insistem no Mercado Argelino


Projecto de EUR 4 milhões para o Metro de Argel foi ganho por Ensitans, Agrupamento Europeu de Interesse Económico (50% Metro Lis e Ferconsult) e 50% Metro Barcelona e Sener.

Entretanto, o concurso de EUR 1.200 milhões para a construção de alguns troços da auto-estrada Este-Oeste foi adjudicado a empresas chineses, em detrimento da proposta portuguesas da Lusogrupo (Mota-Engil, Soares da Costa, Construtora do Lena, Construtora do Tâmega, MSF, Zagope, MonteAdriano, OPCA, Edifer, Abrantina, Conduril, Casais e Eusébio, Coba e Global Via).

A Argélia, que é fornecedor de gás natural à Transgas, também fornece a China que tem uma forte presença no país.
Existem outras oportunidades no sector ferroviário. A Mota-Engil vai agora abrir uma sucursal na Argélia. A EFACEC está presente no sector eléctrico.

quinta-feira, abril 20, 2006

PPP Brasil - 2

Uma missão de 11 entidades oficiais brasileiras estêve em Portugal para conhecer a experiência com PPP- Parcerias Publico-Privadas. Esta missão técnica a Portugal, e esteve inserido no seminário Parcerias público-privadas: lições portuguesas para o Brasil.

"Dentre as lições que ficaram, uma delas é a de que a utilização de PPPs deve ser feita com cautela, pois o Estado não fica desonerado de suas atribuições. No encontro também foi reforçada a necessidade de manutenção da competitividade do Estado frente aos parceiros privados. E foi enfatizado como fundamental a aplicação de prazos maiores nas licitações e a capacitação das equipes técnicas governamentais para a atuação com as PPPs."

Alguns to promotores, juristas e financiadores envolvidos em PPP em Portugal também têm presença no mercado brasileiro.

VER Relatório da missão: PPP - Lições Portuguesas para o Brasil

Seminario com o IFC no ICEP, 9-Maio

Terá lugar no próximo dia 9 de Maio no Auditório do ICEP (Av. 5 de Outubro, n.º 101, em Lisboa) uma sessão de trabalho com o Sr. Atul Mehta, Director da IFC - International Finance Corporation/ Sociedade Financeira Internacional - para a América Latina e Caraíbas.
A IFC, entidade membro de Grupo Banco Mundial, é o maior financiador multilateral para projecos do sector privado nos países em desenvolvimento. Oferece uma grande quantidade de produtos financeiros (empréstimos directos - A loans, empréstimos através de syndicated - B loans, participações no capital, quase capital - C loans, gestão de risco e intermediação financeira) e tem capacidade para flexibilizar e adaptar os produtos às necessidades do promotor.

Contactos: Paula Barreiros paula.barreiros@icep.pt
Unidade de Gestão Sectorial - Fileira Indústria da Construção e Projectos
Av. 5 de Outubro, 101
1050 - 051 Lisboa
www.icep.pt
Tel. +351 21 790 94 74

quarta-feira, abril 19, 2006

Encontro de Consultores Internacionais, Bruxelas, 31-Maio


Este Seminário subordinado ao tema "PRIVATE SECTOR DEVELOPMENT & SMEs SUPPORT" que terá lugar em Bruxelas, no próximo dia 31 de Maio é uma importante oportunidade de contactar com consultoras internacionais a trabalhar em projectos financiados pela União Europeia.
Acaba por ser uma autentica feira de consultoria!
A data limite para inscrição era o dia 11 de Abril e a data limite para pagamento é o dia 28 de Abril.

Contactar o ICEP ou para mais informações: http://sectorseminar.czechtrade.cz/

PPP in Brazil

PPP in Brazil & Latin America 22nd and 23rd May 2005, Central London.
With presentations from the Federal and State Brazilian Governments and from key private sector experts, this conference is the ideal arena to find out how to get involved in this rapidly developing market. The event offers all participants the highest-level networking opportunity and should not be missed by anyone involved or interested in this area. www.smi-online.co.uk/pppbrazil.asp

Evaluation and Impact Assessment of Peacebuilding Projects


This course aims to refine the methodologies to evaluate the performance of various forms of peace-building activities: conflict resolution, negotiations, support to the rule of law, security sector reform, confidence building, targeted development.

The course follows on a related introductory course given every year at the INCORE Summer School of the University of Ulster in Northern Ireland.

The course is given by Channel Research, contacto colin@channelresearch.com

4-7 September 2006

VI Encontro de Economistas de Língua Portuguesa




VI Encontro de Economistas de Língua Portuguesa em Angola
Cerca de 250 economistas de Portugal, Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-bissau, Macau, Moçambique, e São Tomé e Príncipe reuniram-se esta semana em Luanda para analisarem diferentes processos de reforma, crescimento e desenvolvimento económico.

terça-feira, abril 11, 2006

Portugal à frente da Espanha em clima laboral

Segundo publicou a revista "Exame" na edição de Março de 2006, a Esade Business School de Barcelona através do seu Instituto de Estudos Laborais (IEL), realizou um estudo acerca de clima laboral na União Europeia, situando-se Portugal neste estudo à frente da Espanha.
A camaradagem entre colegas, a igualdade de oportunidades, o orgulho de pertença à organização, as boas práticas de recursos humanos e a credibilidade das chefias são dimensões em que os trabalhadores portugueses pontuam positivamente, situando-se Portugal numa posição acima da média dos países da União Europeia (UE). Este estudo teve como base, dados colhidos em 14 países da União Europeia, excluindo o Luxemburgo, entre 2003 e 2005.

Se a produtividade está relacionada com o clima que se vive nas organizações, porque é que, em termos de produtividade, Portugal continua na cauda da Europa?

Ou será que algumas empresas portuguesas estão mais viradas para os colaboradores do que para os clientes ?

Estudo "Work Climate and Employment Relations in the European Union"

quinta-feira, abril 06, 2006

Ibéria atinge 10,6% da receita mundial de Turismo


Portugal e Espanha atingiram cerca de 54 mil milhões de euros de receitas de turismo, em 2005, segundo referiu a Secretaria de Estado do Turismo.
Os dois países vão realizar acções de promoção turística conjunta nos mercados do Brasil e EUA e têm como objectivo captar mais turistas.
O projecto conjunto será apresentado na quinta-feira no Encontro Luso-Espanhol de Turismo que conta com a participação dos secretários de Estado do sector de Portugal e de Espanha.
A promoção da Península Ibérica aproveita a proximidade geográfica dos dois países, "ampliando a oferta turística e cultural".

Portugal pode captar uma importante fatia de turistas que visitam Espanha (segundo maior destino turístico do mundo), com uma oferta variada para que este maximizem a sua visita.

http://www.iturismo.pt/
http://portugal-e-espanha.blogspot.com/

Exportar é necessário



O economista António Borges defende apoio urgente às empresas portuguesas exportadoras num seminário em Vila do Conde sobre casos industriais de sucesso em Portugal, "Nos últimos dez anos o país tem vindo a seguir uma política dominada pelo estímulo da despesa e do endividamento, o que tem discriminado todo o sector transaccionável e exportador".
As empresas que tentam entrar no mercado externo estão desamparadas e necessitam de uma política económica mais equilibrada. Paralelamente, o investimento é mal conduzido ou mal aproveitado, podendo ser canalizado para outras áreas.
O Vice-presidente da Associação Empresarial de Portugal (AEP) Couto dos Santos frisou que "É através da indústria que podemos exportar e que o país pode crescer".

Para exportar, é necessário investir no conhecimento dos mercados alvo. Segundo um artigo de Mariana Abrantes de Sousa na revista Economia Pura, Nov/Dez 2005, "O sucesso comercial das exportações espanholas em Portugal baseia-se num forte conhecimento do nosso mercado". No entanto o primeiro Congresso de empresas exportadoras portuguesa teve lugar apenas em 2005.

Outros analistas alertam para o crescimento excessivo dos sectores de bens e serviços não transaccionáveis ou dependentes de importações.

Ver artigo completo em
http://dl.dropbox.com/u/13583205/ppplusofonia_mas_nuestrosproveedores_dez2005.pdf

sábado, abril 01, 2006

MBA´s em Espanha


Em 2005, foram 62 os portugueses que decidiram tirar um MBA em Espaha, no IESE Business School e no Instituto de Empresa (IE), duas das 20 melhores escolas do mundo nesta especialidade.
Tanto no IE como no IESE, apenas 15% dos alunos de MBA são espanhóis.
25% dos planos de negócios feitos nas aulas pelos alunos de MBA do IE dão origem a empresas «start-up».
Ver Expresso Caderno Emprego, 18mar06
Fazer um curso em Espanha é uma óptima forma de conhecer melhor o exigente mercado espanhol.